quarta-feira, 18 de abril de 2012

El condor passa


Quero apenas uma flauta doce
Tocando no amanhecer
Um som que renova meu coração
“Um condor que passa”.

Levado pelas térmicas
Sem pressa
Sem o rufar de asas
Na pura calma do vento.

Quero apenas sonhar
Com os campos verdejantes
Soltar minha alma do penhasco
E planar por sobre os vales.

Quero sentir o tempo
E as suas notas suspirando
Deixando a vida ser consumida
Pelo sol que me aquece.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

2 comentários:

  1. Belíssimos versos poeta! Acompanhados desta melodia maravilhosa ficou soberbo. Parabéns meu amigo. Cada dia mais fulgurante. Estou encantada!
    Um doce beijinho
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amiga pela sua presença carinhosa de sempre...

      Excluir