quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Água da fonte.


Voa minha alma...
Em um vôo ritmado e sereno
Estive ausente de meu corpo
Estive longe de minha casa

Busquei chuvas e orvalhos distantes
Busquei amores e sonhos utópicos
Busquei flores em jardins alheiros
Busquei poesia em livros de química

Voa minha alma...
Em um vôo ritmado e sereno
Aprendi com o vento e a solidão das horas
A beber a pura água da fonte.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 25 de maio de 2014

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Cor@ção de Minas


Assim como "Minas" são muitas minas
"Minas",  também tem muitos corações...

Um abraço à todos os leitores do Blog do meu cor@ção!

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Lua sangrenta.


Houve uma sangria no céu
São Jorge matou seu dragão
E coloriu de vermelho
A lua do meu coração...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 16 de fevereiro de 2014

O cheiro das águas.


Passa o tempo
Desbotam-se as cores
Envelheço na cidade

Meus sonhos emigram
Para outros canteiros
Os colibris enlouquecem

As pétalas insistem
Mas a raiz se nega a sugar a seiva
Seria  o meu triste destino?

Mas já fiz o meu  papel de flor
Já  fiz a minha primavera
Já lancei fora as minhas sementes

Passa o tempo
Desbotam-se as cores
Então, apenas anseio o cheiro das águas.


Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O circo da vida.


Baixe sua lona
Arme seu picadeiro
Invoque seu palhaço
Sorria de alegria

Afinal a vida é uma peça
Que lhe faz pintar o rosto
E fingir completamente
A dor que deveras sente

Curta seus aplausos
Escreva o seu filme
Mas não espere ler a sinopse
Depois do fechar das cortinas.

Autor; Gilberto Fernandes Teixeira