sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

5.000 Acessos.

Estação saudade


Parada,
Saída,
Embarque,
Desembarque,
Pessoas,
Bagagens,
Animais,
Minérios,
Carvão,
Saudades,
Encontros,
Desencontros,
Apitos,
Silêncios,
Trilhos,
Máquina,
Maquinista,
Fumaça,
Tempo,
Vidas,
Dor..
Mentes...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Floresça



Floresça!
No chão desafiando a seca
Em um galho desafiando as alturas
No caule aproveitando a seiva.

Não se importe com o clima
Floresça desafiando as chuvas
Desafiando o sol
Desafiando os ventos.

Você quer brilhar e se abrir
Mostrar o que tem de bom lá dentro
Suas pétalas e seus amores
Seu perfume e suas cores,

“Floresça onde você nasceu”
Parece pouco...
Mas quando olhares em volta
Terás criado "primavera".

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A Praça da Bíblia


Quando eu fui embora
Ainda não tinha esta praça
Quando voltei
Quer surpresa boa!

Como a vida passa depressa....
Deixei para trás um pedaço de cerrado
Hoje encontro uma nova pracinha
Singela e muito bela.

Então me assento em de seu banco
E vejo um menino correndo no tempo
Entre matos e carrapichos
O reencontro é sempre uma bela surpresa.

Meu passado logo ali
Escondido entre o cimento
Onde só havia mato e pássaros
E um menino feliz.

Retiro uma fotografia da praça
E nela guardo
O tempo e as saudades
Que não voltaram jamais.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 24 de dezembro de 2011

“UM FELIZ NATAL COM CRISTO”



“Então é natal”
O velho e o novo se misturam
Há uma nova cor
E uma só essência de amor.

Não podemos presentear a todos
Mas o Senhor Jesus já fez isto por nós
Só ele nos trouxe a esperança
De uma vida eterna.

Qual seria o melhor presente?
Que nossos corações anseiam?
Poderíamos ser felizes na Terra
Se aqui tudo passa e acaba.

Não! O melhor Presente é Cristo
Ele morando dentro de nós
Nossos desejos saciados
E a eternidade garantida.

Muitas festas, muitos corações felizes.
Muitos povos unidos
Esquecendo magoas e angustias
Tudo muito belo por apenas um dia.

Amanhã!...
Dizem que não existe amanhã...
Eu concordo em parte
Sem o amor realmente não creio no amanhã.

Por que somente o "amor é eterno"

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 18 de dezembro de 2011

Companhia


O ninho
E o passarinho
O amor
E o carinho.

O frio
E o calor
A dor
E o acalento.

O vento
E a brisa
O cabelo
Que desliza.

A mão
E a luva
A uva
E o vinho.

O pão
E a mesa
Em sua companhia
Que beleza!

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Sossego

Sabes!
Há muito tempo
Que quero descansar
Olhar as estrelas.

Ficar de papo pro ar
Só no sossego
Enfim...
Só eu, você e a lua.

Momento de silêncio
Vendo cometas
Viajando no espírito
Curtindo o espaço.

Um instante intimo
Sem pressa
Sem relógio
Quase sono...

Uma noite
Uma madrugada
Grilos e grama
Poesia tranqüila.

Versos calmos
Rima despreocupada
Sem travesseiros
Cabeça encostada.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Alianças



Na corrosão das horas
No desgaste das almas
Assim vão nossos dias
Lapidando diamantes.

Como um ourives
Que derrete o ouro
Que estuda as formas
Para fazer um anel.

As relações nos desgastam
“Triste época mais fácil
Desintegrar um átomo
Do que um preconceito”

A pedra bruta...
A brutalidade dos homens
Uma poesia incrustada
Muitas escórias no espírito.

Como fazer uma jóia?
A pedra é bela
Mas as facetas estão
Tampando seu brilho.

Volto ao esmeril do perdão
Ao martelo do amor
Ao forno da esperança
E faço um par de alianças.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

As cores do amor



Minha vida era em preto e branco
Mas você passou com suas cores
Com seu arco íris.
Com sua paleta.

Tudo que era cinza você pintou de verde
E me deu esperanças
Tudo que era amarelo
Você pintou de vermelho e me deu paixão.

Todas as paredes do meu coração
Receberam tinta e novas cores
Novos desenhos e inspirações
Você de fato é uma artista do amor.

Você pintou com carinho os meus becos
Deixou minhas ruas mais claras
Iluminou de branco os meus olhos
Pintou de azul os meus sonhos.

Você me levou além das cores da vida
Deu-me contrates textura
Tirou todas as minhas ganâncias
Deu-me a paz que nunca encontrava.

Se hoje experimento a felicidade
É por que nossas cores estão misturadas
Minha alma agora é multicores
Pois o seu amor mudou minha vida.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Confissão


Vou me arrastando
Serpenteando por entre as veredas
Minha vida é um confessório
Estou me abrindo completamente.

Cada um de vocês são meus analistas
Meus psicólogos
Ou os meus psiquiatras
Meu divã é este blog.

Não sei se agrado a todos
Nem tenho tamanha pretensão
Apenas escrevo que me dá na teia
O que me parece lógico.

Tem dias que fico pensando!
O que estou fazendo aqui neste espaço
Cibernético?
Neste mundo elétrico e virtual.

Meu COR@ÇÂO se espalha
Minhas ideias se mutiplicam
E chego onde nunca poderia está
Dentro da sua cabeça.

Autor; Gilberto Fernandes Teixeira.

domingo, 27 de novembro de 2011

GATURAMO REI

Hei! Voei até aqui
Só para lhe dizer
Que ainda
Existo.

Por isso te peço:
“Não destrua a natureza”
Ela é a nossa casa
Inclusive a sua.

Muito obrigado
Por essa pinha
Estava uma delicia!
Abraços na família.

Sinceramente...
Pretendo voltar
Outra vez...
Na próxima safra.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A vida pode ser bela!

Há um hálito de vida
Que nos faz sonhar
Descer a fonte
Buscar a Deus.

Tem dias que a vida é bela
Vale a pena cada segundo
Vale a pena cada momento
Não há desperdícios.

Sonhos e realidade se misturam
A utopia se torna ativa
A poesia desperta
Sai do seu casulo.

A chuva deixa seu arco íris
E vamos colorindo o mundo
Nossa paleta torna-se infinita
Nossas cores têm até fragrâncias.

Há dias que a vida nós remete
Ao paraíso divino
A felicidade efêmera
Que é maravilhosa enquanto dura.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 20 de novembro de 2011

Nostalgia


Sabe aquele filme americano
Que ficou guardado lá na gaveta
Acompanhado daquela música que marcou época
Que te faz chorar como a fumaça nos olhos.

Lembre-se amigo!
Você sempre sentirá essa sensação
Toda vez que um perfume
De  “saudade” invadir seu ambiente.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Haverá paz no vale para mim!


Eu sempre sonhei com planícies
Minha alma correndo em um vale
Livre como o vento
Voando como uma águia.

Mas meu espírito ainda vive
E uma pergunta sempre persiste
Haverá paz no vale
Para mim também?

Senhor! Tenho corrido em vão!
Ponha-me na tua direção
Para preparar minha morada eterna
“Eu só quero paz no vale para mim.”

E quando chegar hora derradeira
Que eu veja os céus abertos!
Como filho pródigo quero voltar,
Voltar ao primeiro amor.

E o no vale vou descansar
Senhor! Eu só quero uma porção
De sua maravilhosa eternamente.
“Grandioso és tu Senhor!”

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

“Nada se compara a você”

Você é exclusivo
Único!
Nada se compara
A você!

Eu sou assim também
Comparador
Porém não me comparo
A você.

Nós somos incomparáveis
Você cantando
Na sua singularidade
E eu apenas lhe escutando.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Proclamação da república

Hugo me traga os charutos cubanos.
Vou me assentar na varanda da América
E soltar fumaças de liberdade
Embora saiba que fumar é proibido.

“Liberdade”! Liberdade!
Abra as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
“Dá que ouçamos sua voz”

15 de novembro de 1889
“É um contentamento descontente”
Brasil! Um sonho tão gentil
Liberdade, igualdade e fraternidade.

Talvez hoje não damos tantos valores
Aos sonhos que nos libertaram
Por que nosso sangue embora não derramado
Continua derramando.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira