sábado, 21 de abril de 2012

Horas vazias

Horas vazias...
Sem sol,
Sem luz,
Cinzas nas paredes...

Janelas fechadas,
Coração solitário,
Quarto escuro,
Céu sem horizonte.

Morcego negro,
Consciência doente,
Pensamentos escassos,
Insônia sem remédio.

Ajeito o travesseiro
Concerto o corpo
Estico as canelas
E suspiro apaixonado.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário