quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Insônia


Quando a noite cai
E o sono não chega
É em você que penso
Neste silêncio...

Entre estrelas mil
Pontos de lumes
Seus olhos verdes me lembram
Sutis vagalumes.

Quando a noite cai
E o meu corpo treme
È sua alma que aquece
Quem nunca lhe esquece.

Entre suas lembranças
Perambula meu ser
Passo noites acordado
Pois minha insônia é você.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

2 comentários:

  1. Oi meu amigo
    Feliz da musa que tem o poder de causar insônia a um poeta que passa as noites em claro recordando doces lembranças. Lindo poema amigo!
    Um abraço de saudade
    Gracita

    ResponderExcluir
  2. Obrigado amiga pela visita que anima apesar do calor que consome...

    ResponderExcluir