sábado, 28 de abril de 2012

Dália



Se eu tivesse um amor
Daria a ela uma flor
Mas que flor escolheria?
Talvez uma dália portuguesa.

“Por causa da sua louca beleza...”

Autor> Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 24 de abril de 2012

Gelatina


O que preciso para ser feliz?
Nada além de uma doce ilusão do amor..
Com sabor de gelatina.

São os olhos das mulheres
Com os sorrisos das meninas
Gelatina com leite moça.

O que preciso para ser feliz?
Nada além de bolas com anilinas.
Gelatinas com gelatinas.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 22 de abril de 2012

A minha oração



Leio e releio o mundo...
E as notícias não me estão boas
Vejo muito sofrimento
Muito descontentamento.

Sei que vivo em uma época lúcida
Uma época cibernética
Onde o quintal do meu amigo
Está aqui dentro da minha tela.

Eu navego por outros países
E conheço outros sonhadores
Nós não queremos guerras
Nós sempre desejamos a paz.

“Mas o homem é o lobo do homem”
E por mais longe que eu vá ainda fico triste
Quase perco minha poesia
Volto meditando com os meus botões.

Não posso fazer nada para mudar tais realidades
Não posso interferir naqueles sofrimentos
Às vezes quando permitido deixo uma opinião
Um abraço amigo e um sorriso nos lábios.

Então oro a “Deus”
Para que “Ele” possa fazer
Tudo que não está ao meu alcance
Obrigado Senhor!

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 21 de abril de 2012

Horas vazias

Horas vazias...
Sem sol,
Sem luz,
Cinzas nas paredes...

Janelas fechadas,
Coração solitário,
Quarto escuro,
Céu sem horizonte.

Morcego negro,
Consciência doente,
Pensamentos escassos,
Insônia sem remédio.

Ajeito o travesseiro
Concerto o corpo
Estico as canelas
E suspiro apaixonado.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quarta-feira, 18 de abril de 2012

El condor passa


Quero apenas uma flauta doce
Tocando no amanhecer
Um som que renova meu coração
“Um condor que passa”.

Levado pelas térmicas
Sem pressa
Sem o rufar de asas
Na pura calma do vento.

Quero apenas sonhar
Com os campos verdejantes
Soltar minha alma do penhasco
E planar por sobre os vales.

Quero sentir o tempo
E as suas notas suspirando
Deixando a vida ser consumida
Pelo sol que me aquece.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 17 de abril de 2012

Metade


Metade de mim é ela
Metade dela sou eu
E metade de nós dois...
Não existe!

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sábado, 14 de abril de 2012

Banco de flores


Só queria me assentar em um banco de praça
Assim meio sem graça
Olhar para cima e sentir as flores
Uma cachoeira de flores.

Pétalas e pétalas
Cachos e cachos
Brancas, rosas e amarelas
Vermelhas, roxas e azuis.

Depois tomar um banho de perfume
Namorar uma francesa
Desenhar uuma natureza morta
E bater uma fotografia de lembrança.

Para eternizar a minha alma.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Simples versos


Os sonhos nascem do azul
Como gotas nascem das nuvens
Como as flores brotam dos ramos
Os sonhos crescem no azul...

Como os rios formam os oceanos
Os sonhos são pedaços do paraíso
Por isso navegar e sonhar é preciso...
Sonhar é trazer o azul do céu a Terra.

Eu queria uma geração de sonhadores
Uma geração de anjos poetas
Que colorisse as letras
Como Deus coloriu as flores.

Eu queria descrever o mundo
Mas me contento em observá-lo
Eu queria escrever um belo poema
Mas me contento com estes simples versos.

Autor> Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 10 de abril de 2012

Tarj mahal.


Toda mulher merece um castelo encantado
Um príncipe apaixonado
Um sonho de amor
E uma jóia de brilhante.

Mas a minha não teve tais presentes
Não! Que nunca imaginei presenteá-la
Mas só posso lhe fazer poesias
E dentro delas posso por quase tudo.

Até meu coração embrulhado
Em papel
Manteiga...

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira
Fotografia: By Carlos López

domingo, 8 de abril de 2012

O meu coração


Meu coração
Tem ninhos de artérias
Átrios de esperanças.

Meu coração
Tem válvulas de amor
Músculos de bondade.

Meu coração
Tem catedrais imensas
E ruas vazias.

Meu coração
Tem sonhos
E sangue quente.

Meu coração pulsa
Em meu peito
Involuntariamente...

Mas meu coração
Pode enfartasse
De saudades.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Amassado


Meu coração estacionou em frente à estação primavera
Tirou uma foto amarela
Acelerou sem destino
E foi se revelar em um lugar que não existe...

Você viu meu coração passar correndo
E me discou dizendo
Que o havia encontrado
Então meu coração bateu o carro.

E ficou todinho AMAssado

Ator: Gilberto Fernandes Teixeira

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Janelas de vidro


Tenho janelas de vidro
E só agora percebo
Quebradas...
Fiquei muito tempo opaco.

Minha vida está sem rumos
Meus horizontes embaçados
Não vejo nada além de mim mesmo
Solidão são cacos...

Tenho que trocar a vidraça
Por um vidro colorido
Voltar a chamar a atênção
E até pedras.

Por que sou assim
Se me quebram e percebo
Volto mais brilhante
E mais transparente.

Autor> Gilberto Fernandes Teixeira

terça-feira, 3 de abril de 2012

Somos amigos.


Quero apenas uma caixa de notas
Notas musicais...
E uma vitrola chamada saudade.

Para quando tocar lá em casa
Você escute ai em seu coração.

Quero apenas notas azuis
Afinadas por um maestro
Entendido em amizade
Para quando escutá-las

Lembrar-te que ainda somos amigos.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

segunda-feira, 2 de abril de 2012

A verdadeira morada


Tenho amontoado pedras
Em vão construo um abrigo
Minha esperança ainda é terrena
Como queria viver em tendas.

O sol me tem sido rude
As horas me tem sido árduas
Pois tenho levantado pirâmides
Mausoléus para posteridade.

Eu construo um esconderijo
Um refúgio e uma fortaleza
Mas só restaram pedras e ruínas
Sei da minha condição de peregrino.

Então olho para o alto
E não posso deixar de orar
Pois minha verdadeira morada
Será cosntruída do nada.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira

domingo, 1 de abril de 2012

Tudo azul.

pedras brasileiras preciosas e semi-preciosas para bijuterias e semi joias. - Teófilo Otoni - MG - Brasil

Uma pedra
Azul
Um sonho
Azul.

Um pássaro
Azul
Um horizonte
Azul.

Profundidade
Azul
 Olhos
Azuis.

Um poema
Azul
Com letras
Azuis.

Autor: Gilberto Fernandes Teixeira